quinta-feira, 30 de abril de 2009

Bolo de Amêndoas

Já faz um tempo que tinha visto nos blogs receitas de bolo de amêndoas, daí comprei um pacote de amêndoas moídas e deixei guardadinho; mas nessa semana, passeando pelos blogs, achei um bolo de amêndoas muito simpático, lá no blog da Janeca , e achei muito fácil de fazer, e lá ela dizia que a receita era da Andreia, que eu ainda não conhecia e que tem um blog muito bonito!
O bolo é um delícia, tem um sabor muito especial, apesar de ser um bolo muito simples. Fica uma massa úmida e leve.
A receita é pequena, fica um bolinho lindo, ideal para uma família de dois, como a minha!rs

Bolo de Amêndoas

  • 100 gr de amêndoas trituradas
  • 1 xícara de açúcar
  • 1 colher de sopa de açúcar baunilhado - não usei, coloquei um pouco de essência de baunilha
  • 1/3 de colher de chá de sal
  • 3 ovos em temperatura ambiente
  • 50 gr de manteiga ligeiramente amolecida
  • 2 colheres de sopa de whisky - usei brandy
  • 1/2 xícara de farinha
  • 1 colher de chá de fermento em pó
  • Canela em pó para polvilhar - polvilhei com açúcar de confeiteiro

  1. Primeiro misture as amêndoas, açúcar, açúcar baunilhado e o sal.
  2. Depois acrescente o ovos, a manteiga e o whisky, bata tudo muito bem.
  3. Por fim acrescente a farinha e o fermento e volte a bater.
  4. Colocar em forma untada e forrada com papel vegetal.
  5. Levar para assar em forno pré aquecido, 180 graus. Faça o teste do palito. No meu forno 35 minutos foram suficientes.

Carne picada com legumes

Carne picada com legumes

Ora aqui fica mais uma sugestão óptima para jantares de semana! Rápida de fazer (principalmente para quem tem o hábito de ter os legumes arranjados no frigorífico!) e bastante saborosa. Vou dar as linhas gerais, uma vez que pode haver inúmeras variantes! Aqui fica:

600 g de carne picada (usei de vaca)
1/2 couve coração cortada em tiras muito finas
2 cenouras raladas
1/2 cebola picada finamente
3 dentes de alho picados
azeite q.b.
fatias de queijo flamengo q.b.
2 colheres de molho de soja
sal q.b.
sumo de 1/2 limão

Numa frigideira alta ou num tacho colocar o azeite, a cebola e o alho. Deixar refogar e juntar a carne picada. Quando a carne começar a ganhar cor, juntar os restantes legumes e deixar cozinhar. Temperar com o molho de soja, o sumo de limão e acertar o sal. Quando os legumes começarem a ficar moles, retirar do lume e colocar num recipiente que possa ir ao forno. Cobrir com fatias de queijo flamengo e levar a gratinar. Acompanhei com arroz branco.

Bom apetite!

Cupim Heterodoxo

Cupim é uma carne diferente das outras. Em primeiro lugar porque só tem em gado zebuíno, por isso não é conhecido nem por nossos vizinhos (argentinos e uruguaios) nem por europeus ou americanos. As raças produzidas nestes países são de origem européia sem essa grande protuberância chamada Cupim. É uma carne muito gordurosa (e se for magra é ainda mais dura) e curiosamente, uma carne dura. Para assar na churrasqueira você tem duas opções, ou assar como costela (por muitas horas) ou embrulhar em celofane apropriado para alta temperatura e colocar no espeto ou levar à grelha. Neste caso o cupim fica cozido e não assado.

Já que é pra cozinhar, proponho esta forma heterodoxa de preparar esta carne. Está preparado? Promete não ficar chocado? Então leia a receita e depois me diga, se ficou ou não ficou bom.

INGREDIENTES:
1 cupim de 1,5 a 2 kg
1 pimenta dedo de moça
4 dentes de alho
1 folha de louro
1 punhado de sal grosso

MODO DE PREPARO:
Cozinhe, sim cozinhe a carne na panela de pressão (cobrindo 3/4 da carne com água) com todos os ingredientes por uns 40 minutos.
Retire da panela, corte em fatias de uns 2,5 cm e coloque na grelha (ou frite na frigideira) ainda bem quente. Toste bem de ambos os lados. Estando tostado, corte em tiras em seguida em cubos.
Sirva com uma boa farofa e tempere à mesa com chimi churri, o famos molho uruguaio/argentino.
É um aperitivo fantástico. Antes de condenar o preparo heterodoxo, experimente.

Não seja da turma do não provei e não gostei!!!

Serve 8 a 10 pessoas como aperitivo

Torta Light de limão siciliano


Hummmm! Peguei essa receitinha na revista Caras, numa página assinada pela Lucília Diniz. Pareceu-me deliciosa, e minha filha mais velha, Maria Fernanda, adora cheese cake de limão. Será que passa por cheese cake? Bom, tentarei.
INGREDIENTES:
1 colher (sopa) de gérmen de trigo;
3 colheres (sopa) de adoçante culinário;
150 gramas de cream cheese light;
1 xícara (chá) de iogurte desnatado;
1/2 xícara (chá) de ricota light amassadinha;
3/4 xícara(chá) de suco de limão siciliano;
1 colher (sobremesa) de essência de baunilha;
1/4 xícara (chá)de água morna;
Raspas de 2 limões sicilianos;
2 envelopes de gelatina sem sabor e incolor.
MODO DE PREPARAR:
Misture o gérmen de trigo com uma colher de adoçante e esparrame no fundo de um pirex redondo.Eu usei a tampa do meu pirex redondo, deu direitinho.No liquidificador, junte o crem cheese, o iogurte, a ricota, o suco do limão, o restante do adoçante, a baunilha, a água morna e parte das raspas do limão.
Bata bem batidinho. Separadamente, dissolva as gelatinas em 2/4 de água quente pra morna. Imediatamente, junte a gelatina ao creme e bata mais. Jogue essa mistura sobre a forma preparada, salpique o restante das raspa de limão e decore como você preferir.Leve à geladeira por no mínimo 3 horas.
Rende 12 porções, sendo que cada porção terá aproximadamente 43 kcal.

Costelinha de porco no forno à la americana

Esse prato é o “campeão de audiência” em todos os restaurantes americanos, aqui e lá. Fica muito melhor se preparado na véspera, pois só assim é que o molho “barbecue” age com mais intensidade. Podemos também usar a mesma receita para preparar a costelinha na churrasqueira. No churrasco o sucesso é o mesmo como aperitivo.

INGREDIENTES:
1 kg costela de porco (remover o excesso de gordura)
½ garrafa de vinho branco seco
1 xícara de água
1 colher de sopa de mel
300 ml de molho “barbecue”
Sal e meia pimenta dedo de moça

MODO DE PREPARO:
Deixe a costela de molho em todos os ingredientes menos o molho “barbecue” por duas horas, no mínimo, fora da geladeira sempre. Cubra com um pano.

Coloque em uma assadeira no forno e pincele o molho de ambos os lados. Aqueça a assadeira a 90 graus e asse por aproximadamente 3 horas virando de tempo em tempo, pincelando mais molho e retirando o excesso de gordura derretida da assadeira quando juntar.

Pode ser guardado para o dia seguinte se preferir preparar antes. No dia seguinte. Aqueça o forno a 180 graus, pincele novamente a carne e termine o assado.

DICA: Se fizer na churrasqueira coloque em uma parte menos quente para que o processo leve mais ou menos uma hora e meia. Mais tempo, mais macio!

Serve 4 pessoas ou 6 como aperitivo

Mais sobre o Glúten

Mais um artigo que achei na Internet falando sobre o glúten, alergia, intolerância e doença. Espero que seja útil!

A diferença entre alergia ao glúten e doença celíaca
Somos únicos e resultamos da interação de nosso exclusivo genótipo com o meio ambiente. Isso se reflete em nosso temperamento, nossa imunidade, nossa pele, sede e apetite. Por exemplo, pessoas que vivem em ambientes muito frios tendem a ter a pele mais clara, comem alimentos com mais gordura e são mais introspectivos. No que se refere aos alimentos não é diferente, possuímos reações individuais a eles. 
Os alimentos não podem chegar ao sangue inteiros, pois causariam um choque anafilático, precisam ser bem digeridos. Este papel cabe ao trato gastrintestinal que transforma alimentos em nutrientes para serem usados pelas células, mas infelizmente, nem sempre este aparelho consegue fazer o seu trabalho.
Quando a digestão não ocorre de forma adequada há um sistema bastante especializado para evitar este tipo de acidente, a tolerância oral, que serve para proteger nosso corpo dos possíveis alergenos. O órgão responsável pela tolerância oral é o sistema imune entérico (fica dentro do intestino) que serve para combater parasitas, vírus e alimentos mal digeridos. 
Este sistema avisa às outras células do seu exército, por meio da histamina (aminoácido) que recebeu este “estranho” e que se por ventura outro cruzar seu caminho, deve ser atacada. Este mecanismo é chamado de alergia alimentar, que pode apresentar-se de várias maneiras e intensidades. Desde a alergia imediata em que as manifestações ocorrem até 2 horas após o contato até as alergias tardias que podem levar até 4 dias para produzirem reações.
As reações alérgicas do tipo tardio chamada segundo a classificação de Gell e Coombs, tipo IV são bastante difíceis de ser diagnosticadas, dificultando assim seu tratamento. 
Duas alergias bastante comuns que se enquadram neste tipo são a alergia à proteína do leite de vaca e alergia ao glúten.
A doença celíaca é a enteropatia (doença intestinal) mais extensa que leva à má absorção e é associada com uma sensibilidade à gliadina encontrada no trigo, centeio e cevada. Esta alergia ocorre devido à reação auto imune (quando o sistema imunológico ataca as células do corpo) contra as estruturas intestinais, desencadeada somente quando há consumo de alimentos que contem glúten.

O que é Doença Celíaca?
A Intolerância permanente ao glúten, costuma se manifestar na infância, entre o primeiro e terceiro ano de vida, podendo, entretanto, surgir em qualquer idade, inclusive na adulta. O tratamento da doença consiste em uma dieta totalmente isenta de glúten. Os portadores da doença não podem ingerir alimentos como: pães, bolos, bolachas, macarrão, coxinhas, quibes, pizzas, cervejas, whisky, vodka,etc, quando estes alimentos possuírem o glúten em sua composição ou processo de fabricação.

O que é o Glúten ?
É a principal proteína presente no Trigo, Aveia, Centeio, Cevada, e no Malte (subproduto da cevada), cereais amplamente utilizados na composição de alimentos, medicamentos, bebidas industrializadas, assim como cosméticos e outros produtos não ingeríveis.
O prejudicial e tóxico ao intestino do paciente intolerante ao glúten são proteínas constituintes do glúten como a gliadina do trigo, a Hordeína da , a Avenina na Aveia é a Secalina no Centeio. O glúten não desaparece quando os alimentos são assados ou cozidos, e por isto uma dieta deve ser seguida à risca. O Glúten agride e danifica as vilosidades do intestino delgado e prejudica a absorção dos alimentos.
De acordo com a lei 10. 674 – 16/05/2003 os portadores de doença celíaca, conquistaram o direito junto à Anvisa de conter junto aos rótulos de alimentos uma observação sobre o conteúdo de glúten no alimento. Art. 1o Todos os alimentos industrializados deverão conter em seu rótulo e bula, obrigatoriamente, as inscrições "Contém Glúten" ou "Não contém Glúten", conforme o caso.

Como se faz o Diagnóstico da Doença Celíaca?
São realizados exames especializados para avaliar a absorção da D.XILOSE e dosagem de gordura nas fezes, assim como dosagem de anticorpos antigliadina, antiendomíseo, e antitransglutaminase, porém, É ABSOLUTAMENTE NECESSÁRIA a realização da Biopsia do Intestino Delgado (BID), para estabelecer o diagnóstico da Doença Celíaca, a qual deve ser obtida, preferencialmente, da junção duodeno-jejunal. 
Porém, não são apenas os celíacos que não devem consumir glúten, pois há pessoas com alergia alimentar ao trigo que ao fazer o exame para doença celíaca obterão resultado negativo, mas se beneficiarão ao fazer a dieta com exclusão de glúten. O glúten é uma proteína elástica que ao ser consumido em grande quantidade, pode formar uma massa viscosa que se adere ás paredes intestinais, podendo fixar-se causando alteração na sua motilidade e função. 
Muitas pessoas que apresentam constipação, gases, enxaquecas, dores articulares, compulsão alimentar, hiperatividade podem estar apresentando estes sintomas devido ao acúmulo de glúten nas paredes intestinais, que passa a dificultar a produção de neurotransmissores como a serotonina.
Mas o que é consumir em grande quantidade? Pão francês no desjejum, macarrão no almoço, biscoito no lanche, pizza ou sanduíche no jantar – houve o consumo de no mínimo 4 vezes ao dia do mesmo tipo de cereal, sendo que poderíamos consumir arroz integral, quinua, milho, aipim, batata, grão de bico, lentilha, ervilha, feijão. O nosso grande desafio é evitar a monotonia alimentar, pois quanto mais variada for nossa alimentação, menor o risco de desenvolvermos deficiências nutricionais e alergias alimentares. 

[Fonte: Site Médico]

Croquetes

Tal como em casa da Mariana, do Caos na Cozinha, também em minha casa sempre se fizeram croquetes. Não sei se a minha mãe seguia a receita do chefe Silva, mas o mais provável é que sim, uma vez que as teleculinárias eram (e ainda são) usadas vezes sem conta em busca de todas as receitas possíveis e imaginárias.
Ora lá me deu vontade de fazer croquetes. E a receita que eu fui buscar? A mesma que a Mariana usou, a do chefe Silva. E lá fiz uns croquetes deliciosos!

Ingredientes para cerca de 2 dúzias:

200g de restos de carne cozinhada (usei carne de porco que estufei + 1 bocadinho de chouriço)
3 colheres de sopa de azeite
1 dente de alho picado
1 folha de louro
1 cebola pequena picada fininha
60g de farinha de trigo
1,5dl de leite
2 ovos
sal
pimenta
noz moscada
pão ralado
óleo

Preparação:

Numa caçarola coloque o azeite, junte o alho, a cebola e o louro e deixe alourar, mexendo sempre para não queimar. Quando a cebola estiver lourinha, junte a farinha e mexa até estar tudo bem ligado. Mexendo sempre, sobre lume brando, adicione, o leite bem quente. Continue a mexer até descolar do fundo.
Junte a carne picada, misture em e tempere com sal, pimenta e noz moscada. Continue a mexer cerca de 1 ou 2 minutos.
Fora do lume, misture 1 ovo batido, deixando-o cair em fio e mexendo bem.
Leve novamente ao lume e mexa sempre até formar bola e descolar do fundo do tacho. Despeje sobre um tabuleiro e deixe arrefecer.
Molde os croquetes e passe-os por ovo batido e pão ralado.(Neste ponto podem ser congelados). Frite em óleo bem quente, secando-os depois em papel absorvente.

Bom Apetite!

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Costela de Boi Assada no Forno

A Costela de boi é uma carne típica do churrasco. Aliás, das mais importantes. Esta receita é para a gente fazer esta deliciosa carne, mesmo sem ter uma churrasqueira em casa. Escolha sempre costela gorda, pois a magra é muito mais dura. O excesso da gordura, conforme está na receita, é retirado da assadeira durante o tempo de forno.

INGREDIENTES:
1 Costela de Boi de aprox. 2 kg
1 colher de sopa de folhas de salvia fresca
1 colher de chá de tomilho fresco
2 dentes de alho amassados em sal refinado
Pimenta do reino preta moída na hora
4 taças de vinho tinto
1 xícara de azeite
100 g de manteiga (1/2 tablete)
Sal grosso

MODO DE PREPARO:
Tempere a carne com sal, pimenta do reino, alho amassado, salvia e o tomilho fresco e 3 taças do vinho. Deixe no tempero por 2 horas, fora da geladeira, virando depois de 1 hora. Ligue o forno e regule para 100ºC. Aqueça bem uma assadeira em cima do fogão, untada de azeite. Coloque a carne dentro da assadeira já bem quente e toste-a bem de todos os lados. Esta operação deve levar uns 15 a 20 minutos. Tire a carne da assadeira, coloque-a em outra e leve ao forno.

Retorne a assadeira que foi usada de volta ao fogo baixo (sobre o fogão). Despeje dentro 1 taça de vinho e com uma colher de pau “limpe” bem o fundo. Ainda em fogo lento, vá mexendo sempre até reduzir o volume do líquido para a metade. Coe este molho, coloque em uma panelinha e com a ajuda de um “fouet” (batedor de claras) incorpore ½ tablete de manteiga batendo bem.

A carne está no forno assando, regue-o com o molho da marinada ao longo do preparo. Vire a cada 30 minutos. Retire o excesso de gordura que vai juntando na assadeira. Pode se observar o “ponto”, espetando um palito no meio da carne. Se sair muito líquido pelo furo, estará aquém do ponto. O tempo total é de umas 4 horas. Fica suculento e muito gostoso. Para servir corte a costela entre os ossos (ou retire os ossos e corte depois) e coloque por cima o molho super quente.

Serve 6 pessoas

Sobre o Glúten


Achei duas reportagens que falam sobre o glúten, bem interessante, talvez alguns até já tenham lido, mas achei legal colocar aqui pra vocês. A Revista Época acha que pode ser meio modismo, já o segundo artigo, de um outro jornal, defende a não ingestão de glúten. Ambos estão aí para vocês!

REVISTA ÉPOCA:

Por que a proteína presente naturalmente no trigo é acusada de ser o mais novo inimigo da saúde?

Pão quentinho, pizza crocante, bolo de chocolate. Esses prazeres corriqueiros são um perigo para a saúde de um grupo de pessoas: os portadores de doença celíaca, distúrbio genético que prejudica o funcionamento do intestino delgado e a absorção de nutrientes. Essas pessoas têm intolerância ao glúten, proteína presente no trigo, no centeio, na aveia, no malte e na cevada. Caso o celíaco não evite alimentos com a substância, poderá sofrer desde desconfortos gastrintestinais até doenças graves, como osteoporose e câncer de intestino. Isso é conhecido pela medicina e pelos consumidores há muitas décadas. Mas nos últimos meses o glúten vem sendo acusado de fazer mal a uma parcela muito maior da população.

Nos Estados Unidos, ele tem sido apontado como deflagrador de problemas em pessoas que nunca tiveram a intolerância à proteína constatada por exames. Alergias de pele? Dor de estômago? Infertilidade? Depressão? Culpa do glúten, acreditam muitos americanos. Alguns pacientes dizem que bastou excluir a proteína da dieta e os problemas desapareceram. Até que ponto a acusação faz sentido?

Não há como negar o efeito negativo do glúten sobre os celíacos. Ele contém uma substância tóxica chamada gliadina, que desencadeia os sintomas em quem já nasce com uma predisposição genética ao distúrbio. No Brasil, estima-se que uma em cada 600 pessoas seja celíaca. Com deficiência de nutrientes e baixa imunidade, o organismo pode apresentar problemas como alergias, infertilidade, ansiedade e até mesmo depressão. A ligação do glúten com essas doenças faz sentido no caso dos celíacos. Mas muitos dos mecanismos de ação ainda são desconhecidos pelos médicos. O que não faz sentido para a maioria dos especialistas é acusar o glúten de ser a causa desses problemas em pessoas que não são intolerantes a ele.

A constatação de intolerância ao glúten é feita por meio de um exame de sangue específico. Depois, é confirmada por biópsia. O paciente é submetido a uma endoscopia e com uma pinça, o médico retira fragmentos do intestino delgado. Se nesses fragmentos forem encontradas alterações que impeçam a absorção de nutrientes, o glúten deve ser evitado. Nos Estados Unidos, estudos parciais apontavam uma possível alergia temporária ao glúten. "Mas os trabalhos não são consistentes", diz a gastrenterologista infantil Maraci Rodrigues, do Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Algumas pessoas têm alergia ao glúten. Ela não é temporária. Sempre que a proteína é ingerida, o organismo reage com vermelhidões na pele, diarréia, vômito. Em casos graves, a respiração pode ser interrompida.

O glúten não é um nutriente essencial para a saúde. Os consumidores podem muito bem viver sem ele, resistindo a alguns prazeres. "A pessoa precisa estar disposta a abrir mão de uma cervejinha gelada", diz o nutrólogo Durval Ribas Filho, presidente da Associação Brasileira de Nutrologia.

A vida sem glúten também é mais cara. Um pacote de macarrão sem glúten, por exemplo, custa 50% a mais que o produto convencional. Esse é um mercado em expansão. Nos Estados Unidos, produtos livres de glúten movimentavam cerca de US$ 200 milhões no começo da década. A estimativa para 2010 é que as vendas alcancem US$ 1,7 bilhão.

No Brasil, as alternativas para quem não pode - ou não quer - ingerir glúten aumentaram, embora ainda sejam restritas. Um exemplo é a rede americana de restaurantes Outback Steakhouse. Ela é uma das poucas que oferecem no cardápio opções de pratos sem glúten. "É uma política internacional da empresa", diz a gerente de Comunicação, Elen Cunha. Um dos itens mais procurados é um brownie de chocolate sem farinha. Segundo a empresa, outros pratos podem ser preparados sem a proteína. Basta o cliente pedir. Mas a razão para banir o glúten da dieta é apenas quando os médicos indicam e exames comprovem que ele é a raiz dos problemas. 

O que se sabe sobre os efeitos do glúten?
Ele é a principal proteína do trigo. É encontrado também no centeio, na cevada, no malte e na aveia. Contém uma substância que, em algumas pessoas, pode desencadear dois problemas

Alergia alimentar
O que éConsequências
Surge quando o organismo é sensível ao glúten. A alergia é semelhante à provocada em algumas pessoas por outros alimentos, como leite, chocolate ou camarãoA reação é imediata. Podem surgir vermelhidões na pele, gases, dores de estômago, diarréia, vômitos e até impossibilidade de respirar (edema de glote)
Doença celíaca
O que éConsequências
Distúrbio causado pela intolerância ao glúten. O corpo libera substâncias que danificam a mucosa do intestino. O órgão deixa de absorver os nutrientes dos alimentosSem nutrientes, o organismo enfraquece e perde imunidade. Podem ocorrer diarréia, emagrecimento, dores de estômago, anemia, coceira e bolhas na pele
Outros danos possíveis
• Manchas nos dentes
• Osteoporose
• Aborto espontâneo
• Infertilidade
• Convulsões
• Ansiedade
• Depressão
A Polêmica
Os cientistas reconhecem a possível relação do glúten com esses problemas.
Mas não sabem como ele poderia causar os danos. Segundo o conhecimento atual, esses males podem ocorrer apenas nas pessoas que sofrem de doença celíaca. Há suspeitas de que possam atingir uma parcela maior dos consumidores.


----------------------------------------------------------------------------------
JORNAL CONVERSA PESSOAL:
Glúten provoca diversas complicações

O inimigo de quem busca uma vida saudável está no pão, no bolo ou na cerveja. É o Glúten – uma substância encontrada no trigo, no centeio, na aveia e na cevada. Segundo médicos e especialistas, ao chegar no intestino o glúten transforma-se em uma espécie de cola grudando nas paredes intestinais. Com o passar do tempo, provoca saturação do aparelho digestivo, aumento da gordura na região do abdome, dores articulares, alergias cutâneas e depressão.

Muito desses problemas de saúde são em decorrência na mudança de cardápio dos brasileiros que passaram a comer em excesso alimentos ricos em glúten como pães, biscoitos, macarrão e bolos. Hoje até queijos embutidos vem com a substância. A nutróloga Clara do Brandão, do Ministério da Saúde, alerta para a criação de uma soberania alimentar. “Mandioca, milho e arroz no lugar do trigo importado, que faz tanto mal a saúde”, disse. 

O corpo responde de diversas maneiras: obesidade, síndrome de resistência à insulina, deficiência de cálcio, alergias, diarréias e doenças auto-imunes. O nutrólogo João Curvo conta que os chineses consideram o excesso de glúten sinal de má higiene interna já que o metabolismo emperra, favorecendo bactérias que gostam de calor e estagnação. 

A dieta sem glúten é moda nas academias pois o emagrecimento e a redução de gordura na área abdominal é comprovada. Muita gente está incluindo na alimentação pães de aipim e de milho, macarrão de arroz e cookies de soja. O nutricionista Leonardo Haus está recomendando a dessensibilização ao glúten. Trata de um período de três meses no qual não se pode comer os quatro cereais que contêm o glúten - trigo, centeio, cevada e aveia. “A idéia é uma reeducação alimentar. Você pode comer um pãozinho mas o excesso pode alterar todo o seu metabolismo, baixar a imunidade do organismo e levar doenças. Mas é bom lembrar que nem todo obeso tem essa intolerância alimentar”, explica. 

Intestino sem glúten produz serotonina e gera alegria, é a afirmação de especialistas da área nutricional. As dificuldades no começo da dieta podem aparecer, por isso uma boa dica para ter o sucesso esperado é a ingestão constante de frutas, que além de leves são nutritivas e de baixa caloria. Outro fator importante é procurar no mercado alimentos produzidos com boa qualidade. 

Pessoas alérgicas aos efeitos do glúten estão agindo de maneira mais radical e submetendo-se a colonterapia. Um procedimento de lavagem do intestino grosso que faz circular de 40 a 50 litros de água provocando uma limpeza geral. Um dado interessante: os alimentos em geral levam 18 horas da mastigação até a eliminação pelo reto. Alimento com o glúten leva 26 horas. Consumido em excesso vai retendo cada vez mais toxinas no organismo e promovendo a disbiose, que é a alteração da flora normal, com fermentação e retenção de líquidos. Podendo ocorrer uma série de doenças articulares, auto-imunes e depressão. Depois da colonterapia, o intestino volta a produzir o neurotransmissor da alegria – serotonima. 

Ainda existem casos que as pessoas tem uma intolerância genética ao glúten, os celíacos. Pesquisas indicam que um em cada 300 brasileiros são portadores da doença. O diagnóstico é difícil pois é uma doença pouco conhecida no Brasil. Se o glúten é estritamente proibido para os celíacos, as pessoas que não sofrem do problema não precisam ser tão radicais. Comer um pãozinho de vez em quando está liberado. 

Problemas relacionados ao consumo de glúten:
- Intolerância alimentar: o glúten é uma cola que adere as paredes intestinais e vai bloqueando o funcionamento do intestino. Os primeiros sintomas são intolerância alimentar, desconforto abdominal, gases e retenção de líquidos.
- Obesidade: Com o metabolismo lento não se processa devidamente os alimentos tendo como conseqüência o acúmulo de gordura abdominal. 
- Baixa imunidade: afeta o sistema imunológico favorecendo doenças auto-imunes. 
- Intoxicação e enxaqueca: o metabolismo estagnado dificulta a eliminação das toxinas elevando o risco de doenças como dores de cabeça e enxaquecas. 
- Açúcar: Como o glúten é aliado do açúcar, seqüestrador do cálcio, aumentam os riscos de osteoporose, cáries, ranger de dentes, insônia, hipertensão e colesterol alto. 



*Saiba mais sobre o Glúten:

Queques de agrião - O Dia Verde

Como não podia deixar de ser, cá estou eu a participar no desafio da Mary e no seu Arco-Iris culinário. Desta vez a cor escolhida foi o verde e decidi fazer uns queques de agrião.



1/2 molho de agrião
2/3 chávena de óleo
1/2 chávena de açúcar
3 ovos inteiros
2 chávenas de farinha para bolos
Uns salpicos de fermento


Bata bem os ovos inteiros até que estes dupliquem de volume. Misture bem todos os outros ingredientes com os ovos, excepto o óleo e os agriões que primeiro são picados e misturados na varinha mágica. Só depois se misturam aos outros ingredientes.
Passe as formas de silicone por água e coloque uma colher de sopa bem cheia de massa em cada uma delas. Leve ao forno quente por 15 a 20 minutos, retire do forno, deixe arrefecer e desenforme.


Para decorar pode usar um creme de açúcar, como esta. Preferi imitar o aspecto do glace colocando por cima do queque uma colher de iogurte adoçado com açúcar amarelo. Por cima coloquei compota de morango.



Também fiz alguns com sabor a limão (por cima coloquei iogurte aromatizado com salpicos e raspas de limão).


Os meus preferidos são estes com molho de chocolate (chocolate de culinária derretido no microondas com um pouco de leite e geleia de marmelo para ficar sempre brilhante).

Salmão Gratinado com Espargos Verdes

Como me tinham sobrado espargos verdes dos revuelvos de domingo, achei que seriam o acompanhamento perfeito para uns lombinhos de salmão que tinha deixado a descongelar para o jantar.
Um resto de molho bechamel que estava no frigorífico também se juntou à festa, e saiu este jantar simples mas com alguma personalidade!

Ingredientes para 2 pessoas:

2 lombos de salmão
sal e pimenta q.b.
sumo de 1/2 limão
1 colher de sopa de azeite
16 espargos verdes
100ml de molho bechamel

Preparação:

Retire a parte fibrosa dos espargos e coza-os em água temperada de sal durante 8 a 10 minutos. Retire e deixe arrefecer.
Tempere os lombos de salmão com sal, pimenta e sumo de limão, e leve-os a grelhar numa frigideira anti aderente previamente aquecida com o azeite.
Depois de o salmão estar pronto, retire-o e, na mesma frigideira saltei-e os espargos inteiros.
Coloque depois metade dos espargos numa assadeira que vá ao forno e à mesa. Por cima coloque os lombos de salmão e, por cima destes os restantes espargos.
Regue com o molho bechamel e leve ao forno quente apenas para gratinar a superfície.
Sirva com arroz de açafrão.

Bom Apetite!

terça-feira, 28 de abril de 2009

Bolo de Gengibre e Mel

Andava eu à procura de receitas de com gengibre e dei de caras com esta receita, no blog da saoloira.
A receita é esta (se alguém fizer, depois contem como ficou!), e publico também a minha adaptação para a MFP.

Ingredientes:
180 g de açúcar mascavado
200 g de manteiga derretida
4 colheres de sopa de mel
100 g de gengibre cristalizado
1 colher de sopa de gengibre ralado
4 ovos
200 g de farinha com fermento
1/2 colher de chá de fermento em pó

Preparação à mão:
Misture o açúcar, a manteiga e o mel num tacho e leve ao lume brando para derreter. Deixe arrefecer um pouco. Numa tigela, misture a farinha com o fermento em pó e o gengibre ralado. Adicione a mistura de mel, açúcar e manteiga derretidos à mistura de farinha. Acrescente os ovos e bata muito bem.
Junte o gengibre cristalizado.
Deite a massa numa forma quadrada untada e polvilhada com farinha. Leve a forno pré aquecido a 170º C durante 45 minutos.

Preparação na MFP:
Junte os ingredientes pela ordem indicada na MFP, respeitando sempre a ordem de juntar primeiro os ingredientes líquidos e depois os ingredientes sólidos, no programa Pão Rápido I.

BOLO PRÁTICO DE MAÇÃ


BOLO PRÁTICO DE MAÇÃ

Ingredientes:
1 xícara (chá) de óleo de soja
4 gemas
4 maçãs cortadas em pedaços, sem casca
1 1/3 de xícara(chá) de açúcar
2 xícaras (chá) de farinha de trigo
1/2 xícara (chá) de aveia
1 colher(café de canela em pó(opcional)
4 claras em neve
1 colher(sopa) cheia de fermento em pó

Modo de Fazer:
Bata no liquidificador o óleo, as gemas e as maçãs por 5 minutos. Reserve.
Numa vasilha, peneire o açúcar e a farinha de trigo e adicione a aveia.
Junte a mistura do liquidificador, a canela e bata muito. Reserve. Misture delicadamente as claras em neve e o fermento e acrescente à massa. Mexa bem até incorporar.
Leve para assar em uma forma com buraco no meio untada com margarina e polvilhada com farinha em forno médio(180º)por aproximadamente 40 a 50 minutos. Retire do forno assim que assar. Pronto!

Obs.: Se preferir light ou diet, é só substituir as xícaras de açúcar por adoçante em pó correspondente, fica uma delícia dos dois modos.

até mais,

Nívers e afins...

[Cami e Eu: amo vc maninha!]

Ontem foi níver da mana (que fofa, 20 aninhos), hoje níver da prima... se bem que comemoramos tudo no domingo, com um peixe cheeeioooo de legumes que a esperta aqui esqueceu de tirar foto. É isso que dá ainda não ter uma câmera... Que 'réiva'... mas td bem. 

Mas é facinho: pega uma panelona com um azeitinho no fundo, coloca batatas em rodelas, se quiser coloca uma maionesinha, põe os filés de peixe por cima (já temperados), enche de legumes por cima e deixa cozinhando. Você pode por pétalas de cebola, tomates picados grandes, azeitona e pimentões coloridos em rodelas, milho... e até acrescentar alguns camarõezinhos. Acrescenta caldo de legumes, sal e pimentinha.  Já pensou? Daí é só servir com arroz branco. Fica muito gostoso!!! Só cuide pra não cozinhar demais e acabar desmanchando de vez os legumes.

Revuelvos de Espargos Verdes e Cogumelos

Da ultima vez que vi espargos verdes à venda por um preço convidativo, não resisti e comprei um molho.
Foram o seguimento perfeito para mais um dos nossos jantares de domingo. Depois da sopa, uns deliciosos "revuelvos"e umas fatias de pão caseiro!

Ingredientes para 2 pessoas:

8 espargos verdes
6 cogumelos
4 ovos
sal e pimenta q.b.
1 colher de sopa de azeite

Preparação:

Comece por arranjar os espargos retirando-lhes a parte fibrosa do fundo. Depois, lave os espargos e os cogumelos, cortando-os de seguida em pequenos pedaços e laminando os cogumelos.
Leve uma frigideira ao lume com o azeite e junte os cogumelos e os espargos deixando saltear até estarem cozinhados. Tempere de sal e pimenta.
Bata os ovos e deite-os dentro da frigideira. Vá mexendo de modo a envolver tudo, mas não deixe os ovos muito cozidos. Rectifique os temperos.
Sirva com fatias de pão caseiro e, se gostar, fatia de bacon fritas.

Bom Apetite!

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Consommé de frutos do mar grelhados

Esse consommé é de rápido e fácil preparo, por isso serve tanto como um caldo quente em uma noite fria como até uma entrada bacana em um jantar chique.

INGREDIENTES:
1,5 l de caldo de peixe (receita já no blog)
250 g de vieiras
250 g camarões limpos
2 colheres de sopa de manteiga derretida
cebolinha francesa cortada em pedaços de 2,5 cm (para enfeitar)
sal e pimenta do reino branca ou um pedacinho de pimenta dedo de moça

MODO DE PREPARO:
Aqueça bem uma frigideira ranhurada
Em uma panela aqueça o caldo de peixe em fogo bem baixo e com a panela tampada
Enquanto isso passe manteiga derretida nos camarões e nas vieiras. Tempere tudo com sal e pimenta branca. Coloque na grelha por 1 a 2 minutos de cada lado para marcar apenas
Quando os frutos do mar estiverem grelhados, sirva o caldo quente em pratos pré-aquecidos, tomando cuidado para não enchê-los demais
Distribua os frutos do mar dentro de cada prato e enfeite com a cebolinha francesa

DICA 1: Se você achar shiitake fresco pode adicionar. Corte em fatias e adicione grelhado já no consommé pronto
DICA 2: Se preferir em vez de colocar pimenta nos frutos do mar, coloque um pedacinho de pimenta dedo-de-moça para aquecer com o caldo. Retire antes de servir nos pratos

Serve de 4 a 6 pessoas

RAVIOLI DE MUSSARELA AO MOLHO BRANCO




RAVIOLI DE MUSSARELA AO MOLHO BRANCO COM PARMESÃO GRATINADO

Ingredientes:
500 g de ravioli de mussarela cozido ao dente
3 colheres(sopa) de manteiga
4 colheres(sopa) de farinha de trigo
3 xícaras(chá) de leite
1 pitada de noz moscada(opcional)
sal a gosto
1/2 xícara(chá) de creme de leite
1/2 xícara (chá) de queijo parmesão ralado

Modo de fazer:
Cozinhe a massa conforme as instruções da embalagem.
Prepare o molho branco: em uma panela, derreta a manteiga, junte a farinha e doure-a por 2 minutos, mexendo sempre. Retire a panela do fogo e adicione, aos poucos, o leite, sem parar de mexer. Cozinhe mexendo constantemente até ferver e engrossar. Tempere com a noz-moscada e sal a gosto. Acrescente o creme de leite e, quando levantar fervura, junte a metade do parmesão.
Incorpore o molho ao ravióli, distribua-o num refratário, finalize com o restante do parmesão e leve ao forno para gratinar por 10 minutos. Sirva em seguida.

Obs.: Caso queira, use ravioli de carne ou outro a seu gosto. Fica uma delícia!


até mais,gifs

Torta de Cerejas e uma ajudante especial...

Mais um final de semana e neste, nos reunimos novamente... Como não poderia deixar de ser foi ótimo mais uma vez. Nem posso descrever a hospitalidade da Sofia e do Eduardo.
.
Também se reuniram a nós, Pepe e Matilde, um encanto de guria, carinhosa e comunicativa, a qual já demonstra traços pelo gosto da culinária... ficou a maior parte do tempo ao meu lado e até criou seu próprio postre.
.
Neste jantar elegi frango com ervilhas frescas e de sobremesa, uma torta de cerejas. Nao ficou tao fotogênica esta torta, mas garanto que o sabor, superou expectativas...Hoje postarei a Torta e na seqüência, o frango.
Asseguro a todos, que ambas sao opçoes leves, práticas e bem saborosas.
.
INGREDIENTES PARA A MASSA
04 gemas
50g de manteiga
25ml de leite
01 pitada de sal
150g de trigo
.
RECHEIO
200g de cerejas cortadas em cubos ou lâminas
01 lata de leite condensado
A mesma medida de leite comum
02 colheres de sopa de amido de milho
01 colher de sopa de margarina
02 gemas
.
COBERTURA
Chantilly
Geléia de Cerejas ou uma a seu gosto
Cerejas para Decorar

PREPARACÃO DA MASSA
Formar uma massa com as gemas, a manteiga (derretida), o leite, sal e o trigo sem sovar muito. Estirar a massa muito fina, cortar com um molde (eu usei um prato), colocá-las em forma untada e enfarinhada e assar em forno forte por uns 3 a 5 minutos, reservar. Rendeu seis discos. Nao vai açucar ou fermento.
.
PREPARAÇÃO DO RECHEIO
Reserve as cerejas já picadas. Leve os outros ingredientes ao fogo até engrossar. Coloque um pouco do caldo das cerejas. Deixe esfriar e aplique.
.
MONTAGEM
Una as tampas com o creme do recheio, alternando sempre; creme, cerejas picadas e as tampas. Espalhe o chantilly, coloque a geléia e decore a gosto.
.
Minha Ajudante... Mati.

Seu Postre... Gelatina com Chantilly.

Nhoque: 1ª Tentativa


Gente do céu... peguei uma receita de Nhoque de Batata tradicional, com farinha de trigo, e fui tentar adaptar. No fim das contas ficou muito gostoso, mas me embolei toda no meio de campo! Hehehehehe

A receita original é a seguinte:
- 6 batatas médias
- 1 xíc. farinha de trigo (que substituí por farinha de arroz)
- sal a gosto

Para o molho:
- 1 lata de molho de tomate
- 1/2 cebola picada
- 1 colh. (sopa) de azeite
- 2 tabletes de caldo de carne
- 1/2 kg. carne moída
O preparo do molho nem preciso explicar né? Dourar cebola, colocar a carne, os tabeltes, depois o molho, tá pronto. :D

O preparo do nhoque eu fiz igual, só substituindo a farinha de trigo pela de arroz:
- Cozinhe as batatas descascadas e cortadas em água até ficarem bem macias, depois amasse bem ou passe pelo espremedor, enquanto estiverem quentes 

* Coloquei 2 colh. de margarina na batata amassada.

- Vá acrescentando a farinha aos poucos e o sal, amasse bem.
- Coloque essa massa sobre a superfície enfarinhada.

* Foi aí que o troço desandou. Até consegui fazer os nhoques, mas na hora de cozinhar, desmanchou. Então resolvi não cozinhar. Coloquei direto na travessa, com o molho por cima e coloquei assar.

O sabor ficou delicioso, mas na hora de servir o nhoque praticamente desmanchou e virou um enoorrmeeee purê de batatas! Mas que ficou gostoso ficou! 
O que eu acho que deve ter dado "errado" é porque não coloquei ovo na massa do nhoque. Da próxima vez que tentar, vou acrescentar e ver o que dá.  Alguém já conseguiu? Mande sua receita que a gente publica aqui!! Bjos a todas!!

Pão de Milho sem Glúten

Continuando com as receitas de pão sem glúten, apresento aqui uma receita de pão de milho sem glúten que pode ser feita na MFP ou então seguir a sugestão e ser feita numa frigideira no forno.
Esta receita foi retirada na integra do blog 100-gluten.



Ingredientes:
3 colheres de sopa de manteiga demi-sel a temperatura ambiente (+/- 30g)
2 colheres de sopa de açúcar areado amarelo
2 ovos grandes (uso XL para tudo)
1/2 chávena (+/- 125g) de natas azedas com ervas (no supermercado encontram-se junto às natas frescas)
1/2 chávena de leite (125 ml)
1/3 de chávena de farinha de sorgo/arroz integral
1/3 de chávena de farinha de arroz integral
1/3 de chávena sêmola de milho de grão médio
1/3 de chávena de polvilho doce
1/2 colher de chá de goma xantana
2 colheres de chá de fermento químico em pó
orégãos a gosto

1 chávena = 250 ml


Preparação:
1. Pré-aqueça o forno a 215º.
2. Unte uma frigideira que possa ir ao forno, de preferência uma de ferro fundido, com azeite, óleo de côco ou óleo de milho.
3. Numa taça média misture bem as farinhas, a goma xantana, o fermento e os orégãos.
4. Noutra taça bata a manteiga com o açúcar até ficar uma mistura leve e fofa. Adicione os ovos, um a um, natas azedas e leite.
5. Deite a mistura líquida sobre a mistura seca aos poucos misturando bem.
6. Despeje a massa na frigideira e leve ao forno por 20 minutos.

Caldo de peixe

Em todas as sopas a base peixe ou frutos do mar esse caldo é a base de tudo. Pode ser guardado na geladeira por alguns dias ou congelado por 6 meses. Vale a pena fazer uns 3 litros (o rendimento da receita abaixo), dividir em 6 caixinhas de 500 ml e usar quando for necessário.
Se bater uma fominha é só aquecer, juntar uma massinha curta e ... curtir rsrs

INGREDIENTES:
2 alhos poro bem lavados e cortados em pedaços
2 kg de cabeça, rabo e aparas de peixe branco
2 cebolas cortadas em rodelas
2 cenouras em rodelas
2 salsões bem lavados e cortados em pedaços (com folhas e tudo)
6 galhos de salsinha
3 galhos de tomilho
1 folha de louro
4 litros de água
100 ml de vinho branco seco

MODO DE PREPARO:
Coloque a parte branca do alho poro em uma panela grande (reserve a parte verde). Junte o peixe, cebola, cenoura e o salsão. Amarre com um barbante a parte ver do alho poro junto com a salsinha, tomilho e louro. Junte a água e o vinho.
Coloque a panela em fogo médio e cozinhe lentamente. À medida que formar espuma na superfície retire com uma escumadeira. Cozinhe em panela parcialmente tampada por 40 minutos sempre retirando a espuma. Não coloque sal!
Coloque um pano dobrado em uma peneira e passe o liquido lentamente pelo filtro.
Salgue suavemente e deixe esfriar. Coloque em caixas e leve à geladeira ou ao freezer.

Caril de Frango e Maçã

Como sabem somos grandes apreciadores de caril, e comida indiana em geral, cá em casa. Da minha parte é porque sempre tive um fraquinho por comidas de sabores e cheiros diferentes. Da parte do M. porque tem uma costela indiana, visto que a minha sogra é de Goa.
Portanto cá em casa o caril tem muitas vezes lugar à mesa. Desta vez o simples caril de frango levou maçã. Ficou mais adocicado que o normal, mas surpreendentemente agradável!

Ingredientes para 2 pessoas:

2 pernas + 2 coxas de frango
1 colher de sopa de pó de caril (comprei um muito bom numa loja indiana no Martim Moniz)
3 colheres de sopa de óleo vegetal
1 cebola pequena
2 dentes de alho
1 pedacinho pequeno de gengibre
5 colheres de sopa de coentros frescos picados.
1 lata pequena de leite de côco
sal q.b.
2 maçãs

Preparação:

Pique a cebola com o alho e o gengibre. Leve ao lume o óleo vegetal e assim que estiver quente junte a cebola picada com o alho e o gengibre. Adicione os coentros e o pó de caril e deixe fritar formando uma pasta. (Se estiver demasiado seca, junte um golinho de água)
Adicione depois os pedaços de frango e deixe dourar na pasta de caril. Acrescente depois o leite de côco e as maçãs previamente descascadas e cortadas em cubos.
Tempere de sal e deixe cozer com o tacho tapado e em lume brando cerca de 35 minutos.
Retire depois o frango e, com a varinha mágica triture o molho até este estar bem emulsionado e cremoso. Adicone o frango novamente à panela e deixe levantar fervura.
Sirva o frango polvilhado com coentros e com um arroz basmati soltinho.

Bom Apetite!

domingo, 26 de abril de 2009

Torta de pimentões e ervas

Essa tortinha mais parece uma pizza, e também é perfeita pra servir em pequenos pedaços em confraternizações descontraídas. Pelo menos é assim que eu uso, mas acho que serve também para uma boa entrada.
Primeiro, preparamos a massa:
  • 2 xíc. de farinha de trigo
  • 1 colher de sopa de fermento em pó
  • 150 ml de leite
  • 1 gema
  • sal a gosto ( sugestão: 1 colher de chá rasa)
Misture numa tigela a farinha, o sal e o fermento. Dissolva a gema no leite e vá acrescentando à farinha. Misture bem com uma colher por uns 5 minutos, e depois transfira para uma superfície enfarinhada para sovar. Sove até que fique macia e elástica, e então deixe crescer por uma hora numa tigela untada, em algum lugar aquecido. Eu coloco no forno, que embora esteja ainda desligado, ficará morninho com o preparo que acontece em cima: a cobertura.
Você vai precisar de:
  • 2 pimentões amarelos grandes
  • 2 pimentões vermelhos grandes
  • 4 cebolas grandes
  • azeite de oliva
  • ervas frescas, 2 ou 3 variedades (tomilho, orégano, salsinha, sálvia, manjerona... eu não dispenso o tomilho!)
Descasque e pique, em tiras finas, os pimentões e as cebolas. Pique também as ervas. Coloque tudo para cozinhar em fogo moderado, com três colheres de um bom azeite numa frigideira. A mistura não deve dourar, portanto, fique de olho: se for preciso, acrescente colheradas de água.
A cobertura ficará no fogo cerca de 30 minutos, até que os legumes estejam macios. O aroma pela casa será inebriante!

Com a cobertura pronta, vamos abrir a massa já crescida e montar a torta. Agora é o momento de ligar o forno, para pré-aquecer. Mas tire a tigela de dentro!!
Abra a massa com um rolo numa superfície enfarinhada, até ficar do tamanho da forma (cerca de 30 cm de diâmetro). (O ideal é que fique um pouquinho maior que a fôrma, para poder fazer uma bordinha, uma parte particularmente deliciosa da torta!) É um pouco difícil, por sua qualidade "elástica". Ela teimará em encolher! Mas quando conseguir, transfira com cuidado para a forma untada, e fure-a com um garfo.

Cubra com o refogado de pimentões, regue com mais azeite, e leve ao forno por 25 a 30 minutos, até que esteja crescida e crocante! Sirva quente, com uma taça de vinho. Que tal?

Variações. Dois toques especiais já testados e aprovados, para agradar a paladares diferentes:
  • cubra a torta com alguns filés de anchovas - para as pessoas e os dias que combinam com o bem salgado;
  • salpique passas pretas - para as pessoas ou os dias que pedem um toque mais doce.

Bolachas com compota de morango


240g farinha
1 colher (chá) fermento em pó
120g margarina
80g açúcar
raspa da casca de 1/2 limão
1 ovo inteiro
2 colheres de sopa de leite

Numa tigela misture a farinha com o fermento e a margarina derretida até ficar uma massa areada. Junte o ovo, o leite, açúcar e a raspa de limão, amasse com a mão (não é necessário amassar muito), forme as bolachas e coloque num tabuleiro untado com margarina e polvilhado com farinha. Leve a cozer durante 15 ou 20 minutos. Quando arrefecerem una as bolachas com compota de morango e mergulhe em molho de chocolate.

Pão de Deus


Massa:
1 copo de leite morno (235ml)
2 ovos
4 colheres (sopa) de manteiga ou margarina
4 colheres (sopa) de açúcar
1/2 colher (chá) de sal
3 1/2 copos de farinha de trigo
10 gramas de fermento de padeiro fresco (cerca de 1/3 de embalagem de 25g)

Recheio

Meio pacote de côco ralado
3 dl de leite
3 gemas de ovos
1 colher de sopa de margarina
5 colheres de sopa de açúcar
meia chávena de amêndoas moídas

Coloque os ingredientes na máquina pela ordem mencionada (esfarelei o fermento por cima da farinha). Seleccione o programa "Massa" (1h30m) e ligue a máquina. Quando o ciclo terminar retire a massa da máquina e sove-a sobre uma superfície polvilhada com farinha. Deixe-a descansar 15 minutos, cobrindo-a com um pano.

Recheio:
Num tacho, leve ao lume o leite, o côco ralado, o açúcar e a margarina e deixe ferver. Mexa bem as gemas numa tigela e adicione algumas colheres do preparado de côco, mexa bem e junte ao restante preparado no tacho. Deixe engrossar um pouco, mexendo sempre e no final junte as amêndoas moídas.

Depois desse tempo de repouso da massa, forme bolinhas, faça um buraco no centro mas sem romper a massa no fundo e coloque o recheio.

Leve a cozer ao forno, pré-aquecido, cerca de 20 a 25 minutos, até dourar. Quando retirar do forno, pincele com geleia e polvilhe com açúcar em pó.

Caracóis doces


Massa:
1 copo de leite morno (235ml)
2 ovos
4 colheres (sopa) de manteiga ou margarina
4 colheres (sopa) de açúcar
1/2 colher (chá) de sal
3 1/2 copos de farinha de trigo
10 gramas de fermento de padeiro fresco (cerca de 1/3 de embalagem de 25g)

Recheio:
1 chávena (chá) de doce de ovos
1 chávena (chá) de amêndoas moídas
1 chávena (chá) de frutas cristalizadas picadas

Doce de ovos:
6 gemas
6 colheres (sopa) de açúcar
12 colheres (sopa) de leite

Num tacho deixe ferver o leite. Mexa bem as gemas com o açúcar numa tigela e vá juntando algumas colheres de leite a ferver, mexendo sempre para não talhar. Adicione ao restante leite que ficou no tacho e deixe engrossar um pouco em lume brando e mexendo sempre.

Coloque os ingredientes na máquina pela ordem mencionada (esfarelei o fermento por cima da farinha). Seleccione o programa "Massa" (1h30m) e ligue a máquina. Quando o ciclo terminar retire a massa da máquina e sove-a sobre uma superfície polvilhada com farinha. Deixe-a descansar 15 minutos, cobrindo-a com um pano.
Depois desse tempo de repouso, com a ajuda de um rolo, abra a massa em forma de um rectângulo de aproximadamente 35cm por 25cm.
Espalhe o doce de ovos na massa, cubra com as frutas cristalizadas e as amêndoas moídas.Enrole a massa tipo torta, a partir do lado maior e, com uma faca, corte em 12 rolinhos. Disponha os rolinhos numa forma untada com margarina e polvilhada com farinha, cubra-a e deixe crescer em um local quente até dobrar de tamanho, por 30 minutos. Leve a cozer ao forno, pré-aquecido, cerca de 20 a 25 minutos, até dourar. Quando retirar do forno pincele com geleia.

Tarte de Queijo Fresco


300g de massa quebrada
150g açúcar
3 ovos
sumo de meio limão
2.5 dl leite
4 queijos frescos dos pequenos
canela q.b.

Forre uma forma de tarte com a massa e leve a cozer durante aproximadamente 15 minutos em forno a 180º, colocando uma folha de papel vegetal ou de alumínio e encha com feijões secos para a massa não ficar deformada.

Recheio:
Misture o açúcar com os ovos e o sumo de meio limão e mexa muito bem até obter um creme esbranquiçado. Adicione o leite, os queijos frescos esmagados com um garfo e cerca de uma colher de chá de canela em pó.

Mexa bem e coloque dentro da massa pré-cozida, já arrefecida. Leve ao forno a 200º durante aproximadamente 30 min. No final polvilhe com canela.